Archive for the 'escritos' Category

Venha de lá a Primavera

Eu até gosto de uma chuvinha de vez em quando, de vê-la cair pelas janelas e do cheiro a terra molhada… gosto de usar luvas e cachecóis, de estar no sofá a ver um filme com a mantinha por cima e os gatinhos a aquecer os pés… castanhas assadas e chocolate quente, mas por favor… venha de lá a Primavera e um bocadinho de sol! 🙂

I even like a little rain from time to time, to see her fall from the windows, the smell of wet earth… I also like to wear gloves and scarves, to be on the couch watching a movie with a blanket on top and the kittens warming up my feet and making “romrom” at my lap… i also love hot chocolate and warm drinks, but come on… is time for Spring and a little bit of sun! 🙂

Advertisements

2010

Este ano começou bem! Abriu com mais um elemento na família, um sobrinho lindo, um problema de saúde da minha mãe resolvido, decidi-me a pôr em marcha alguns projectos que tinha em mente, como por exemplo arrumar o escritório que, por desespero e motivação de início de ano, fi-lo esta semana (é a grande diferença para as decisões anteriores). Assim terei um espaço disponível e sempre pronto para os potenciais momentos de inspiração, para finalizar alguns projectos e começar outros que tenho em mente.

Na entrada do novo ano uma lufada de ar fresco surgiu nas minhas iniciativas e decisões, e relativamente a este blogue infelizmente senti que está na corda bamba. Ou vai em frente ou então vai ao fundo…! Não é fácil manter um blog. Também acho que se não é para dizer nada de interessante é preferível não dizer. Benjamim Franklin dizia que “Ou escreves algo que valha a pena ler, ou fazes algo acerca do qual valha a pena escrever”. É mesmo isto!

Seja como for, enquanto durar, uma decisão deste ano é FAZER!

No ano 2009 dei o passo da costura, aprendi a mexer com a máquina que me piscava o olho há um tempo, fiz algumas peças que confesso que deram um gosto bestial e mais importante deram-me a motivação para fazer mais e melhor.

Por vezes os hobbies têm a característica de alimentarem o entusiasmo durante um curto período de tempo e depois surge o desinteresse, é bom mas efémero. É preciso realmente dar-nos um gosto especial para nos dedicarmos mais, ou então parte-se para outra, outro hobbie, que entusiasme de igual modo. Estou entusiasmada com todos eles! Espero conseguir partilhá-los!

Desejo a todos um excelente ano!

Tempo

A falta de tempo para as coisas que quero fazer é por vezes angustiante… a falta de tempo ou a opção do tempo nas coisas que faço… talvez seja pouco o tempo para o tempo que preciso para fazer o que quero e devo fazer… até para fazer nada, mas nada faço para nada fazer, o que confesso que saberia muito bem, mas… isso leva tempo! Tempo!

Quero esperar…

“Feliz do homem que não espera nada,
pois nunca terá desilusões.”

Alexander Pope

Eu quero esperar que as crianças são o melhor do mundo;

Quero esperar que quando há amor o dinheiro não interessa;

Quero esperar que não hajam guerras, que as doenças tenham cura e que ninguém passe fome no mundo;

Quero esperar nunca perder a esperança por um mundo melhor;

Quero esperar que a bondade das pessoas seja superior ao egoísmo, ao interesse e ao individualismo;

Eu quero esperar que um amigo seja verdadeiro, que seja grato sem ter que dar nada, e que tenha o bom coração que lhe reconheço quando lhe entrego o meu;

Quero esperar que as lágrimas derramadas não formem um riacho;

Quero esperar que os gritos da alma ecoem num vale encantado;

Quero esperar que os que querem tudo a troco de nada um dia irão descobrir o tempo perdido;

Quero esperar ter coragem para enfrentar um mundo onde niguém espera nada;

Quero esperar ter força suficiente para enfrentar as desilusões!

Quero esperar que, mesmo assim, vou ser feliz!

FELIZ ANO NOVO!!!

Há algum tempo que não escrevo aqui… Ele não estica e para se fazerem umas coisas, outras ficam para trás. Uma delas foi viajar. Outra foi a azáfama do Natal, adoentada, entre jantares e aniversários o tempo esgotou-se e ainda hoje não sei como foi possível ter os mimos de Natal prontos a tempo de o Pai Natal os entregar a cada familiar e amigo. Claro que duas noites em branco a fazer embrulhos ajudaram, mesmo constipada e a trabalhar nos dias seguintes, mas… valeu cada segundo. Querer é poder e no fundo, os mimos significam tempo, tempo que alguém teve a pensar em nós, sejam eles revelados de que maneira for. Como dizia o St. Exupéry “- Foi o tempo que dedicaste à tua rosa que a fez tão importante.” E realmente nós sentimos isto na pele todos os dias. O nosso jardim é tão ou mais rico conforme o tempo que dedicamos às flores que o embelezam. Se há uma flor que não é cuidada, estimada, respeitada, é natural que se encolha no desalento e murche. Respondemos à dedicação que os outros têm para connosco devolvendo em sorrisos, brilho e cor, tempo e gestos, respeito e gratidão. Embelezamos o seu jardim e enriquecemos a nossa vida. Um grande bem-haja a todos aqueles que nesta época festiva, pensaram em nós, em mim, e que o demonstraram através de um postal, um telefonema ou mensagem, um mimo, um Tempo! Foi tempo também do regresso a casa de alguns amigos que vivem longe de Portugal e que vêm festejar a época no calor da família e amigos. Foi bom revê-los! É bom sentir que com algumas pessoas o Tempo não passa. Sinto que 2008 foi o tempo de muita coisa. Numa espécie de balanço o ano 2008 foi o ano em que o tempo soprou revelações. Umas boas, excelentes!, outras nem por isso… A vida é assim. Uma coisa sei que continuarei a fazer: – não dar nada como garantido e estimar todas as flores do meu jardim, tudo o que faz o meu mundo feliz! É essa força que quero ter para 2009 e que desejo a todos os que passarem por aqui.
FELIZ ANO NOVO!!!

* Votos de um 2009 muito Positivo, com muita Saúde, Tempo e Mimos!

Beijinhos

Gosto do silêncio da noite. Parece que as estrelas são só minhas. Tudo o resto descansa, aparentemente, para mais um dia. Sinto que nestes instantes o mundo é só meu. Não no sentido de posse. No sentido em que o respiro e sinto-o humildemente na sua grandeza. Existe a calma para pensar e apreciar, pôr as ideias em ordem e sentirmo-nos especiais por vivermos. Não sei se a vida é uma passagem para a outra margem, uma fugaz milésima de tempo de experiência na Terra, um pagamento de um qualquer karma, não sei e nem tenho o ímpeto dessa busca pois o que sei é que gosto muito de cá andar e de ter o gozo da viagem. Fascinante! What a ride!

As velas ardem até ao fim…

Escrevi este post há tempos e tinha-o aqui nos rascunhos. Não sabia se o havia de publicar. Gosto de partilhar coisas alegres, mas a vida é vivida porque se vive um pouco de tudo. Aqui vai.
……………………….

Nas minhas deambulações pelos livros, ao espreitar na minha estante, este livro puxou a minha mão e eu agarrei-o. Apercebi-me ainda mais do seu valor. É um livro que nos diz algo de novo cada vez que o lemos. Num enquadramento histórico da situação da Europa no início do século XX, tem um discurso sobre amizade fabuloso, solitário e acutilante e que nos faz pensar, questionar, sentir uma empatia e ao mesmo tempo um desconforto porque nos relacionamos. Eu relacionei-me. Ao reler algumas partes senti e soube que é um livro ao qual não se fica indiferente! Melhor! Espreitei, olhei, vi, reli e sorri para dentro. Ao folheá-lo parei na página que tinha escrito em palavras o que me ia na alma e achei tão curioso. Dizem que os livros nos escolhem… Daqueles livros todos foi o que me escolheu naquele momento. Percebi porquê.


“As velas ardem até ao fim” de Sándor Márai da Dom Quixote.

… O segredo é isso!
Bom fds!

categorias

Arquivo

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Join 1 other follower

December 2017
M T W T F S S
« Apr    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031